Santa Casa de Campo Grande é investigada por compra irregular

O Ministério Público Federal (MPF) investiga a Associação Beneficente de Campo Grande (ABCG), mantenedora da Santa Casa, pela compra de equipamentos e mobiliários para atender a Unidade de Trauma. Recurso de R$ 6.989.400 foi viabilizado por convênio com o Ministério da Saúde, entretanto, parte foi utilizada em compra direta em feira hospitalar em São Paulo, portanto, sem realização de licitação. 

A apuração para constatar possível irregularidade na aquisição foi publicada na semana passada no Diário Oficial do MPF.

Conforme o procurador da República Marcos Nassar, a compra foi realizada em maio de 2016, depois da revogação de cotação de preço pela ABCG.

De acordo com o presidente do hospital Esacheu Nascimento, mais R$ 8 milhões foram solicitados ao Ministério da Saúde por meio do convênio para compra de equipamentos - além dos R$ 7 milhões que já tinha recebido. Ou seja, para equipar o anexo do hospital a Santa Casa quer recurso total no valor de R$ 13 milhões.

O hospital alega ter realizado cotação antes da feira e 33 empresas fornecedoras enviaram propostas com a soma dos valores mínimos de R$ 4. 873.637,91. Os mesmos produtos foram adquiridos diretamente na feira hospitalar pelo valor de R$ 3.858.577,57, ou seja, uma economia superior a R$ 1 milhão na aquisição. 

Ao todo, foram 400 itens adquiridos. Entre eles, 34 monitores de pressão arterial não invasiva, 27 monitores multiparametros, 12 desfibriladores, 110 camas elétricas e mecânicas, nove cadeiras de banho e 20 ventiladores pulmonares. Tais informações já foram repassadas ao MPF, bem com as cotações realizadas antes da compra.

Last modified on Sexta, 22 Dezembro 2017 08:29