Agendada primeira audiência do caso Capital Mercantil e Factoring

Está marcada para acontecer no dia 1º de março, em Campo Grande, a primeira audiência para oitiva de testemunhas de acusação contra João Batista Medeiros, ex-proprietário da empresa Capital Mercantil e Factoring Ltda. Segundo o Ministério Público Federal, a financeira atraiu investidores em São Gabriel do Oeste prometendo lucros acima do praticado no mercado, mas quebrou em seguida, deixando prejuízo superior a R$ 66 milhões.

O MPF denunciou João em julho de 2017, por operar instituição financeira sem autorização, lesando as pessoas que investiram em sua empresa e impactando negativamente a economia de São Gabriel do Oeste. Segundo o MPF, 762 pessoas, físicas e jurídicas, figuravam como investidoras da Capital Mercantil em contratos celebrados entre 2008 e 2011. 

Estima-se que as atividades criminosas do denunciado geraram prejuízo de R$ 66,9 milhões a seus credores. A empresa fechou as portas em 2 de outubro de 2011 e a apuração dos fatos se deu no bojo da Operação Pirata, deflagrada em janeiro de 2012 pela Polícia Federal.

A segunda audiência está agendada para 4 de abril, em São Gabriel do Oeste, cidade-sede da empresa que atuou entre novembro de 2005 e outubro de 2011, tendo como objeto declarado a prestação de acompanhamento comercial, assessoria financeira e factoring. Mas a real atuação consistia na captação de recursos financeiros mediante a promessa de boa remuneração e alta taxa de juros.